Hora de conhecer a Bossa Nova… for real!

•dezembro 6, 2010 • Comentários desativados em Hora de conhecer a Bossa Nova… for real!

Dei-me conta só agora de que, apesar de gostar muito de MPB, não conheço praticamente nada! E outra! Descobri que muito do que eu ouvia achando ser MPB era na verdade Bossa Nova, e vice versa. Acho que está na hora desse ignorante aqui fazer a lição de casa. Quando souber mais posto aqui, pra retomar o vida vinil com propriedade e posts historicamente verdadeiros.

Até logo!

A Noruega e seus violões.

•abril 3, 2010 • Comentários desativados em A Noruega e seus violões.

Na Noruega existe vida sim, e até música!

Às vezes tenho a impressão de que o que eu mais quero da vida é mesmo sossego. Não precisa de mais nada, só sossego… e talvez um violão.
E é bem nessas horas que descubro aquela música perfeita pra situação, aquela música que faz parecer, por um minuto do dia, que a gente está a muitos quilometros de distância de qualquer outra pessoa. Foi exatamente isso que me aconteceu quando comecei a explorar um CD que comprei. Kings of Convenience é exatamente uma daquelas bandas que conseguem te arrancar do corpo e te jogar num gramado ensolarado de uma manhã de inverno qualquer em qualquer outro lugar que não essa merd* de cidade da garoa.

Os singles mais conhecidos como Misread e I’d Rather Dance with you eu já conhecia, mas só quando fui escutar o CD de cabo a rabo que descobri realmente as melhores músicas: Homesick, Cayman Islands, Surprise Ice e Gold in the Air of Summer.

As músicas são todas muito agradáveis de se ouvir e realmente nos dão vontade de sentar na beira de um lago, à sombra de alguma árvore e ver o dia passar. Sempre adorei músicas acústicas, mas eles realmente vão além: essas músicas têm apenas violões, um piano e as vozes; não são versões, são acústicas desde sempre. Não dá para ficar melhor.

Só para comentar, acho muito curiosa a letra de Homesick, que diz em um trecho:

“I’ll lose some sales
And my boss won’t be happy
But i can’t stop listening to the sound
Of two soft voices blended in perfection”

E fico imaginando se eles estão falando deles mesmo…

De qualquer modo, fica a sugestão. E também um aviso: músicas altamente viciantes.

Um pequeno histórico para os curiosos:

A banda Kings of Convenience se lançou em 1999, formada por Erlend Øye e Eirik Glambek Bøe, após suas primeiras apresentações durantes festivais europeus de música daquele ano. Assinando com a gravadora americana Kindercore, seu primeiro álbum foi lançado em 2001 levando o nome de Quiet is the New Loud. O nome do CD foi até emprestado a um pequeno movimento pop underground que surgia na época de revalorização de melodias e letras mais sutis, sons acústicos etc, muito influenciado por bandas como Belle & Sebastian e Simon & Garfunkel.

Depois de um período de sumiço, a banda reapareceu em 2004 com o álbum Riot on an Empty Street, que fez sua fama com músicas como Misread, I’d Rather Dance with You e Know How. A banda lançou, mais recentemente, o álbum Declaration of Dependence, em 2009 (que estou louco para ouvir).

Mamma Mia, ABBA de volta?

•março 30, 2010 • Comentários desativados em Mamma Mia, ABBA de volta?

Pois é, em entrevista ao jornal britânico The Times, Björn Ulvaeus e Benny Andersson insinuaram a reunião do grupo para um show pequeno, provavelmente a ser transmitido pela TV ou internet… Eles não sobem ao palco desde 1982, quando a banda acabou.

Bem, apesar de ser o brega do brega, acho que não há alma no mundo que nunca tenha cantarolado ao menos uma vez alguma música deles… o que fico imaginando é se os velhinhos continuam tão afinados.

Strict Joy

•dezembro 31, 2009 • Comentários desativados em Strict Joy

É o nome do álbum lançado em outubro, do duo “The Swell Season”, com Glen Hansard e Markéta Irglová. O título vem do livro do poeta irlandês James Stephens, 1931. Glen descreveu o álbum: “For me, it’s just an audio diary. It’s just another installment of the life we lead.”

“In These Arms”, primeiro single, que saiu dois meses antes do lançamento oficial do álbum. Strict Joy, simplesmente continua o sucesso e a sensação única, que o “The Swell Season” e a trilha sonora “Once” transmitiram.

Deixarei vocês com outra música do álbum, “Low Rising”.

Nada melhor como terminar o ano com eles.
Feliz Ano Novo! Nós vemos logo mais.

Ho Ho Ho

•dezembro 25, 2009 • Comentários desativados em Ho Ho Ho

É, crianças, mas um Natal, ou pelo menos para mim, o décimo nono.

Todo mundo já deve ter ganho presentes, se deliciado do que sobrou da ceia no café da manhã, almoço e lanchinho. Então, como presente natalino, deixarei um clássico para vocês, Jingle Bell Rock.

Merry Xmas!

“L”

•dezembro 25, 2009 • Comentários desativados em “L”

Naqueles dias em que não existe nada para fazer e você afunda no sofá zapeando pelos canais, um seriado chamou atenção, Glee. Apesar de estar bem atrasada, me disseram que ela é um sucesso absoluto por onde passa. Admito que primeiramente, achava que seria uma versão para a TV do musical pré-adolescente High School Musical, mas ela é justamente focada para o inverso. Os personagens seriam os chamados “losers” na sociedade jovem americana, ou seja, os que não são populares. Eles participam do “Clube de Coral” (Glee) do colégio, que é mantido com esforço pelo professor de espanhol, pois no passado o clube foi um orgulho da instituição, porém, para não sair dos padrões americanos de seriados, existe a tal treinadora do time de líderes de torcidas, que já levou grandes títulos, para atrapalhar a diversão dos outros. Além da historinha por trás do clube, os personagens trazem problemas atuais como gravidez, homossexualidade, a garota que finge ser gaga para parecer estranha e não fazer os testes e a dificuldade vivida pelo garoto paraplégico, que arrasa qualquer um na dança. Porém, o que realmente chamou a minha atenção, são as músicas que eles cantam, sendo de grandes nomes da música atual como Rihanna “Take a Bow”,Jordin Sparks “No air”, Avril Lavigne “Keep Holding On”, Amy Winehouse “Rehab” e Lily Allen “Smile”, até grandes bandas que tiveram o seu auge há alguns bons anos atrás, como o Queen “Somebody to Love”, John Lennon “Imagine”, Bon Jovi “It’s My Life”, The Police “Don’t Stand So Close to Me” e o mais surpreendente foi ouvir “Smile” de Chaplin.

É só uma pequena amostra da grande seleção de músicas interpretadas em Glee. Vale a pena não torcer o nariz e dar uma chance, é só escolher alguma quarta-feira, às 22h na Fox.

Férias

•dezembro 18, 2009 • Comentários desativados em Férias

Ou seja, atualizações constantes. Prometo que dessa vez é de verdade, crianças.

Até a próxima música.